Estudo Direcionado

Pela democratização da informação

Pesquise um post:

Carregando...

Destaques:

Isso aí...

por Estudo Direcionado dia 20 dezembro 2014 às 12:51


Novo CPC

por Estudo Direcionado dia às 12:47

Pois é... novo CPC na área.

Retomando

por Estudo Direcionado dia 16 dezembro 2014 às 17:24

Bem, vou reiniciar retomando a leitura do livro de Constitucional do Bernardo Gonçalves. Também vou assistir algumas vídeo-aulas, pelo menos até voltar ao ritmo de estudos.
Depois verificar as atualizações legislativas e partir para o edital do TJ. Em janeiro inicio um curso específico para analista.
E é isso... na luta.

Olá

por Estudo Direcionado dia às 17:02

Bom pessoal, depois de algumas semanas muito difíceis pretendo retomar os estudos e as postagens. 2014, para mim, já vai tarde. Estou recomeçando do zero, literalmente. Rever matérias, pegar editais, verificar bibliografia.
Vou tentar dar continuidade aos informativos, não se preocupem. Por ora teremos concurso do TJ aqui em MS (analista) e rumores do MP (Promotor).
E vamos em frente, é o que me resta.
Sds.

Informações

por Estudo Direcionado dia às 11:14

Bom dia pessoal,
alguém tem informações de próximos concursos para Delegado? Podem me informar? Fiz a besteria de não me inscrever para o do CE.
Grato.

Prova MP GO

por Estudo Direcionado dia 14 dezembro 2014 às 13:46

Caracas, hoje foi a prova do MP GO e caíram algumas questões que já tratei aqui no blog como a do "cenário da bomba relógio", da "mancha diluída" e da "síndrome de Potifar".
Também perguntou sobre a "síndrome de Londres".
Prova de GO sempre cheia de teorias...

Dicas

por Estudo Direcionado dia 05 dezembro 2014 às 11:13

Eu sei, se conselho fosse bom, não seria dado, mas vendido. Ainda mais nesses tempos de compilados, revisados, mastigados, separados, triturados, esmiuçados (nada contra, é apenas uma constatação).
Pois bem, eis como você pode evitar perder anos (sim, anos!) de sua vida de estudo e mesmo profissional.

Erros comuns:


01. Estudar somente para aquele concurso que você almeja

Não estou dizendo que você não deve focar, até por que a concorrência está cada vez mais profissional. Mas você pode tentar algo intermediário para, nesse tempo, ter condições de financiar materiais, viagens, etc e também não deixar o psicológico influir tanto assim. Além disso, pode evitar que você tome decisões drásticas, como terminar um relacionamento por falta de dinheiro, por não poder assumir um compromisso mais sério. Enfim, você dará andamento à sua vida enquanto tenta o seu objetivo.

02. Deixar outras atividades em plano secundário
Está relacionado com o primeiro erro. Claro que deve-se definir prioridades, pois não há como manter um ritmo "normal" enquanto se estuda para concurso. Mas deve haver alguma atividade que sirva de "escape", aliviando a rotina pesada e massacrante de livros, exercícios, etc. Pode ser uma atividade física, o namoro, algum hobbie. Vai da criatividade e interesse de cada um.

03. Atirar para todo lado
Se por um lado não é aconselhável deixar de lado algumas oportunidades, de outro não se deve, também, querer abraçar o mundo. Um exemplo: você está aí, estudando, digerindo uma reprovação recente de um concurso para o qual você se dedicou muito, investiu tempo e dinheiro e está desanimado. Então "surge" uma oportunidade para advogar, abrir uma sociedade com amigos, montar um bar ou prestar concurso para analista tributário Jr. em uma cidade a 10.000 km de distância. Cuidado! Não devemos tomar decisões quando estamos em baixa, pois a chance de fazermos uma escolha errada é muito alta.

04. Não ter metas claras e flexíveis
Mesmo quem já possui alguma experiência e tempo de estudo pode incidir no erro de não estabelecer metas claras, programas, ali, na ponta do lápis. Um exemplo: conciliar o estudo para o MP, Magistratura, Defensoria e Analista Judiciário. Alguns concursos são compatíveis entre si, fazendo-se os ajustes necessários. Mas não dá para estudar para o MP Estadual e para Procurador da Fazenda, p.e.x. E mesmo que já se tenha isso em mente, outro fator que pode desestruturar o concursando é o não cumprimento das metas, por um motivo qualquer. É preciso ser flexível, compensando as perdas e revendo o plano de estudos.

05. Não estudar depois de uma reprovação 
Saiu o seu concurso, você estudou por semanas ou meses para ele, até pediu licença no emprego. Fez curso, comprou bons livros, mas o resultado não foi satisfatório. Então você resolve "dar um tempo", afinal fez tudo o que podia. Esse talvez seja um dos maiores erros que podemos cometer. Talvez seja necessário uns dias para você se recuperar e retomar os estudos, mas parar por semanas, como já vi amigos meus fazerem, é um indicativo de que algo está errado em seu planejamento. Afinal, outros concursos virão.

06. Deixar que fatores externos influenciem de maneira extrema em sua rotina
Não há como controlarmos as situações externas que podem nos atrapalhar, mas deixar que elas influenciem além do razoável pode ser muito prejudicial. Exemplo: você está namorando, já conversou com a sua namorada sobre o seu plano de estudo e, mesmo assim, ela te liga de hora em hora para conversar sobre coisas sem importância. Há um desvio claro no seu plano, que não poderia ocorrer.

07. Não ter o "plano B"
Você estuda para concursos, está levando a sério, tem um bom material, o apoio de amigos, da família, etc. Porém, depois de algum tempo e de ficar muito perto da aprovação, bate o desespero e você pensa se é realmente isso o que você quer, que o tempo passou, que poderia ter feito outra coisa e assim por diante. Pois é. Mesmo tendo foco e dedicação, é preciso traçar um "plano B". E se você não passar no prazo previsto? E se os seus recursos financeiros acabarem? Que saída você terá caso isso ocorra? É preciso ter uma, mesmo que seja para continuar estudando.


08. Cuidado com "milagreiros" e "gurus"
Em concurso, como em tudo na vida, não há milagres nem caminho fácil. O que há são técnicas, métodos e dicas de quem já chegou lá. Mas tudo deve ser analisado para, depois, ser adaptado, se for o caso. Aprendemos com os exemplos dos outros, mas acreditar em soluções compradas é um mito. E isso em todas as áreas, não só nos concursos. Gurus são criados pela mídia e, no caso dos concursos, há um grande interesse financeiro por trás disso tudo. Não seja ingênuo: somente cursos não aprovam, "gurus" não aprovam, "100 dicas eficazes" não aprovam. O que aprova é um equação bem antiga, muito anterior a esses métodos todos: H.B.C., que se traduz por horas-bunda-cadeira. Simples assim.
Cuidado para não ser pego pelo seu lado emocional ou psicológico quando você estiver em baixa. Essa tática é antiga e muito conhecida. E, não à toa, extremamente difundida.


É muito difícil conciliar isso tudo e analisar as oportunidades que surgem, pois nem todas devem ser descartadas. É preciso ter equilíbrio, discernimento e muito diálogo para superar as crises que podem surgir.


DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS. É PERMITIDA A CITAÇÃO COM REFERÊNCIA À FONTE.